Com mais de 170 anos de existência no Brasil, as cooperativas agropecuárias têm como objetivo reunir e organizar produtores rurais para fortalecer o seu poder de escala e a sua atuação no mercado. Além desse processo de organização, elas exercem um papel fundamental na assistência técnica, industrialização e comercialização de toda a produção dos cooperados. Uma atuação que pode acontecer nas atividades agropecuária, extrativista, agroindustrial, aquícola ou pesqueira. Com a implementação de novas tecnologias, as cooperativas levam modernização ao campo, abastecem os lares brasileiros com alimentos de qualidade e contribuem diretamente para a economia do país.

Um retorno que é visto não apenas no campo:

em 2020, o Ramo Agropecuário somou 1.173 cooperativas. Com mais de 1 milhão de cooperados, o setor gerou 223 mil empregos diretos, levando qualidade de vida e desenvolvimento para todo o Brasil!

Cooperativas Cooperados Empregados 0 0 0 0 0 0 2019 2019 2019 2020 2020 2020
Cooperativas Cooperados Empregados 0 0 0 2019 2019 2019 2020 2020 2020 0 0 0

*A diminuição do número de cooperativas deve-se às inativações realizadas até junho/2021. É importante ressaltar que as informações aqui apresentadas referem-se às cooperativas com registro ativo junto à OCB.

Panorama do Cooperativismo
Agropecuário no Brasil

DF BA SE AL PE PB RN CE PI PA AP RR AM RO AC GO SP MS MT TO MG ES RJ PR SC RS MA
Cooperativas Cooperados Empregados 1.223 992.000 207.000 2019 2019 2019 2020 2020 2020 1.300 998.000 + + 6% 2% 209.000 + 2%

Panorama do Cooperativismo Agropecuário no Brasil

Norte

Nordeste

Centro-Oeste

Sudeste

sul

Paraná

Cooperativas

60

Cooperados

185.077

Empregados

95.697

Santa Catarina

Cooperativas

47

Cooperados

73.667

Empregados

48.685

Rio Grande do Sul

Cooperativas

126

Cooperados

322.677

Empregados

33.331

São Paulo

Cooperativas

107

Cooperados

121.343

Empregados

11.336

Espírito Santo

Cooperativas

23

Cooperados

33.027

Empregados

2.240

Rio de Janeiro

Cooperativas

28

Cooperados

6.750

Empregados

711

Minas Gerais

Cooperativas

189

Cooperados

165.705

Empregados

16.258

Goiás

Cooperativas

78

Cooperados

30.055

Empregados

5.838

Mato Grosso

Cooperativas

59

Cooperados

10.120

Empregados

2.855

Mato Grosso do Sul

Cooperativas

26

Cooperados

5.547

Empregados

1.362

Distrito Federal

Cooperativas

9

Cooperados

998

Empregados

231

Acre

Cooperativas

31

Cooperados

1.996

Empregados

176

Amapá

Cooperativas

29

Cooperados

655

Empregados

10

Amazonas

Cooperativas

32

Cooperados

2.402

Empregados

16

Pará

Cooperativas

62

Cooperados

2.999

Empregados

438

Rondônia

Cooperativas

17

Cooperados

572

Empregados

53

Roraima

Cooperativas

16

Cooperados

1.243

Empregados

91

Tocantins

Cooperativas

8

Cooperados

1.024

Empregados

81

Alagoas

Cooperativas

17

Cooperados

649

Empregados

1.842

Bahia

Cooperativas

36

Cooperados

8.249

Empregados

698

Ceará

Cooperativas

30

Cooperados

3.914

Empregados

413

Maranhão

Cooperativas

7

Cooperados

588

Empregados

85

Paraíba

Cooperativas

35

Cooperados

3.337

Empregados

824

Pernambuco

Cooperativas

35

Cooperados

11.631

Empregados

824

Piauí

Cooperativas

30

Cooperados

3.008

Empregados

109

Rio Grande do Norte

Cooperativas

31

Cooperados

3.648

Empregados

24

Sergipe

Cooperativas

5

Cooperados

481

Empregados

5

Segmentação do Ramo
Agropecuário

As cooperativas do ramo são divididas em sete segmentos: insumos e bens de fornecimento, escolas técnicas de produção rural, produtos industrializados de origem animal, produtos industrializados de origem vegetal, produtos não industrializados de origem animal, produtos não industrializados de origem vegetal, e serviços. Diante dessa grande diversidade, uma mesma cooperativa pode atuar em mais de um segmento do ramo. Dentre eles, o mais comum é o de insumos e bens de fornecimento (38%), seguido pelos produtos não industrializados de origem vegetal (26%) e pelo de produtos não industrializados de origem animal (11%).

Distribuição das cooperativas nos
segmentos

0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% INSUMOS E BENS DE FORNECIMENTO PRODUTOS INDUSTRIALIZADOSDE ORIGEM ANIMAL PRODUTOS NÃO INDUSTRIALIZADOSDE ORIGEM ANIMAL ESCOLAS TÉCNICAS DE PRODUÇÃO RURAL PRODUTOS NÃO INDUSTRIALIZADOSDE ORIGEM VEGETAL SERVIÇOS PRODUTOS INDUSTRIALIZADOSDE ORIGEM VEGETAL NÃO INFORMADOS
INSUMOS EBENS DE FORNECIMENTO 0% 0% PRODUTOS NÃOINDUSTRIALIZADOSDE ORIGEM VEGETAL 0% PRODUTOS NÃOINDUSTRIALIZADOSDE ORIGEM ANIMAL 0% SERVIÇOS 0% PRODUTOSINDUSTRIALIZADOSDE ORIGEM VEGETAL 0% PRODUTOS INDUSTRIALIZADOSDE ORIGEM ANIMAL 0% NÃO INFORMADOS 0% ESCOLAS TÉCNICAS

Indicadores Financeiros

É evidente o impacto positivo das cooperativas no desenvolvimento do setor agropecuário brasileiro, e os números comprovam isso. Por meio delas, os produtores passam a ter mais controle de seus processos, contam com serviços de assistência técnica e garantem agregação de valor à sua produção.

A importância do cooperativismo agropecuário pode ser vista também nos indicadores financeiros do setor:

em 2020, as cooperativas agropecuárias somaram mais de R$ 160 bilhões em ativos, um aumento de 21% em relação a 2019! Os ingressos do exercício totalizaram R$ 239 bilhões: 31% maior que o contabilizado no ano anterior!

Indicadores Financeiros do
Cooperativismo Agropecuário

R$ 0,0 BI R$ 0,0 BI R$ 0,0 BI R$ 0,0 BI R$ 0,0 BI R$ 0,0 BI R$ 0,0 BI R$ 0,0 BI R$ 0,0 BI R$ 0,0 BI R$ 0,0 BI R$ 0,0 BI Ativo total Ativo imobilizado Patrimônio líquido Capital social Sobras do exercício Ingressos 2019 2019 2019 2019 2019 2020 2020 2020 2020 2020 2019 2020
R$ 0,0 bi R$ 0,0 bi R$ 0,0 bi R$ 0,0 bi R$ 0,0 bi R$ 0,0 bi R$ 0,0 bi R$ 0,0 bi R$ 0,0 bi R$ 0,0 bi R$ 0,0 bi R$ 0,0 bi Ativo total Ativo imobilizado Patrimônio Líquido Capital social Sobras do exercício Ingressos 2019 2019 2019 2019 2019 2019 2020 2020 2020 2020 2020 2020

E os resultados alcançados pelas cooperativas agropecuárias também voltam para a sociedade com mais desenvolvimento e qualidade de vida:

em 2020, elas recolheram R$ 8,5 bilhões aos cofres públicos, valor 30% maior que o obtido no ano anterior. Isso sem contar com os mais de R$ 7,1 bilhões investidos em salários e benefícios aos seus funcionários.

Proporção de tributos e despesas
com pessoal - Ramo Agropecuário

0% 0% Tributos sobre vendas e serviços Despesas com pessoal

Mais de

R$ 0 Bilhões
em tributos e despesas
com pessoal
0% 0% Tributos sobre vendas e serviços Despesas com pessoal

Mais de R$ 0 bilhões

em tributos e despesas com pessoal

Dados Complementares

O PIB do agronegócio brasileiro fechou o ano de 2020 com um crescimento recorde de 24,31%. Com esse resultado, o setor alcançou participação de 26,6% no PIB total do Brasil no último ano. O agronegócio tem se posicionado cada vez com mais destaque na economia do país, em função da sua capacidade de expansão de produtividade e produção e da geração de emprego em várias regiões.

E o cooperativismo agropecuário também faz parte disso! Graças à atuação do Sistema OCB nos últimos anos, as necessidades de crédito das cooperativas e de seus cooperados foram consideradas para a estruturação de uma arquitetura adequada do financiamento rural em suas diversas modalidades. Dentre elas, vale destacar as rubricas de custeio, comercialização, industrialização e investimento.

Em 2020, a aplicação dos recursos pelas cooperativas agropecuárias somou R$ 626,9 milhões, um aumento de 7% em relação ao ano anterior!


R$ 0 milhões R$ 0 milhões 2020 2019
R$ 0 2019 milhões R$ 0 2020 milhões

Desse total:

R$ 0

milhões

foram aplicados na rubrica de custeio

R$ 0

milhões

foram aplicados na rubrica de investimento

R$ 0

milhões

foram aplicados na rubrica de industrialização.

R$ 0

milhões

foram aplicados na rubrica de comercialização

Fonte: Banco Central do Brasil

Você sabia?

Das 100 maiores empresas do agronegócio brasileiro em 2020, 20 são cooperativas ativas junto ao sistema OCB!

Desafios e Oportunidades

Assim como outros segmentos da economia nacional, o Ramo Agropecuário ainda enfrenta os desafios e as incertezas decorrentes da pandemia de Covid-19. Neste cenário de expectativas, principalmente quanto à recuperação econômica do país, o setor segue trabalhando para garantir o abastecimento dos mercados doméstico e internacional, de forma muito profissional, eficiente e segura. O desempenho positivo é cada vez mais importante para consolidar o setor como um dos principais pilares da economia brasileira.

O cenário atual apresenta ao agro novos desafios e demandas associados a uma acelerada transformação digital. O futuro apresenta um ambiente cada vez mais exigente e competitivo, em que a agregação de tecnologias em todos os elos das cadeias produtivas se consolidará como um diferencial concorrencial. Diante desse panorama, a capacidade de gestão e desenvolvimento do cooperativismo agropecuário será fundamental para identificar oportunidades em meio às adversidades e seguir modernizando-se e crescendo. Mesmo já ativas nesse contexto, nossas cooperativas ainda estão inseridas em um ambiente onde existem gargalos a serem mitigados, como é o caso da conectividade no campo e da infraestrutura de comunicação.

Para acompanhar o dinamismo do setor, as cooperativas agropecuárias deverão estar cada vez mais atentas à diversificação de atividades e inserção em novos mercados. A demanda internacional continuará aquecida para os produtos brasileiros, e as cooperativas têm total condição de ocupar cada vez mais o mercado externo. Deverão, para isso, estar atentas às exigências e padrões globais, a exemplo da rastreabilidade e sustentabilidade da produção. Da mesma forma, ainda existe muito espaço para as cooperativas participarem de forma efetiva dos mercados institucionais, mas sem perderem o foco no mercado privado, aproveitando a expansão das ferramentas de acesso e contato direto com o consumidor final.

O futuro da agricultura em um mundo pós-pandemia

Com o objetivo de levantar as principais perspectivas globais e locais do Ramo Agropecuário, o Sistema OCB lança seu primeiro estudo de mercado em parceria com o Instituto Superior de Administração e Economia (ISAE). O material conta com uma análise econômica e uma pesquisa de tendências para subsidiar as tomadas de decisões das cooperativas. O documento compila mudanças que já vinham ocorrendo em toda sociedade e que foram aceleradas pela pandemia.

Clique aqui e confira!